segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

ARTESÃOS VOLUNTÁRIOS,OBRIGADO!!!


Nossos mais sinceros agradecimentos aos ARTESÃOS VOLUNTÁRIOS,que durante nossas feiras dão o melhor de si.Cumprem horários e metas.Nós, ARTESÃOS MOSSOROENSES deixamos de ser um único cipó,para ser um feicho.
AGRADECIMENTOS ESPECIAIS A TODOS OS ARTESÃOS VOLUNTÁRIOS DA (AMO).UM 2010 REPLETO DE NOVAS IDÉIAS E REALIZAÇÕES!!

Ana Rosa
Antonia Caetano
Aldeíza Martins
Ana Lúcia Pedrosa
Antonieta Alves
Ceição Melo
Clivanni Almeida
Evilmar Gê
Fátima Silva
Fátima Silveira
Francisca Fernandes
Gorette Alves
Heuber Filgueira
Ivanilda Pereira
Jarci Rodrigues
Marilda Pereira
Maria Genilce
Rosa Maria
Vanda Holanda
Zuleide Dantas

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O MESSIAS


Diante da Igreja da Natividade, em Belém.

Há aproximadamente dois mil anos, Jesus nasceu em Belém. Por que justamente ali?

Jesus nasceu em Belém não apenas porque o profeta Miquéias profetizou que assim seria, mas porque Belém significa “Casa do Pão”. Em certa ocasião, Jesus disse: “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” (Jo 6.35).

Vamos fazer uma viagem imaginária até Belém. O que aconteceu ali no passado? Como está Belém hoje?

Belém no século XX

Belém há 55 anos: Israel encontrava-se em plena Guerra da Independência. Era a guerra pela sobrevivência do recém-proclamado Estado judeu. Belém foi ocupada pelo exército jordaniano com o apoio do Iraque, da Síria, do Líbano, do Egito, da Arábia Saudita e do Iêmen.

Belém no século XXI

Belém hoje: Através dos Acordos de Oslo, Belém se encontra sob domínio palestino – exatamente como a Jordânia queria. Assim, Belém faz parte do grupo de cidades da Terra Prometida de onde diariamente partem ameaças terroristas contra Israel .

Belém há três mil anos

Quando nos damos conta de que em árabe a palavra “palestinos” é a mesma que “filisteus”, ou seja, “filastini”, somos lembrados de algo que aconteceu ali há três mil anos: Belém estava ocupada pelos filisteus. O judeu Davi quase se consumia de saudades do lugar onde passara sua infância (2 Sm 23.13-17).

Davi cresceu em Belém. No deserto, ele cuidava dos animais de seu pai defendendo-os de ursos e leões. Davi tinha um dom especial para a música e a poesia hebraica. Através de revelações proféticas, ele sabia que um dia o Messias, o Salvador prometido, viria de sua descendência. Cerca de 1004 anos antes de Cristo, esse pastor de Belém conquistou a cidade de Jerusalém e elevou-a à condição de capital de seu reino. Por essa razão, há algum tempo, Jerusalém celebrou um jubileu muito especial: 3000 anos como capital judaica.


No Talmude, a mais importante obra teológica para os judeus, está escrito: “Depois dos profetas Ageu, Zacarias e Malaquias o Espírito Santo afastou-se de Israel”.



Belém no início da era cristã

Belém há 2000 anos: uma pequena e idílica cidadezinha situada na orla do deserto da Judéia, distante apenas doze quilômetros da esplendorosa capital Jerusalém. Por sua posição geográfica, Belém era muito apropriada para a criação de ovelhas. O deserto da Judéia é um deserto cheio de vida. Durante nove meses do ano ele fornece alimentação para ovelhas e cabras. No inverno, na época das chuvas, o deserto floresce e os montes se cobrem com um tapete verde. Os arredores de Belém são muito férteis, adequados ao plantio de cereais. Daí provém, provavelmente, o significativo nome de Belém, “Casa do Pão”.

Uma singular história de amor

No final do segundo século antes de Cristo desenrolou-se em Belém a história de amor entre Rute e Boaz, relatada no livro de Rute. Ele era israelita, ela moabita – o que hoje equivaleria a ele ser israelense e ela jordaniana. Será que esse não foi um romance meio complicado? Não, o relacionamento era bom, até muito bom, por uma razão bem definida: Rute, por profunda convicção pessoal, afastou-se da religião de seus antepassados e buscou refúgio sob as asas do Deus de Israel, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Ao se voltar para Deus, ela estava automaticamente aceitando as promessas que o Eterno fizera ao Seu povo Israel . Seu casamento foi abençoado com descendentes, e um de seus netos alcançaria um significado especial na história da humanidade: foi Davi, o maior rei de Israel , que conduziu o povo ao seu apogeu político. O sábio rei Salomão pôde, então, construir seu reino de paz sobre as surpreendentes vitórias militares de seu pai Davi.

Belém na profecia

No oitavo século a.C., Belém ficou no foco das profecias bíblicas. Miquéias, o morastita, anunciou que o Salvador prometido viria da dinastia de Davi e nasceria em Belém: “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel , e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5.2).

Deus cumpre as profecias apesar da confusão política


Os acordos de Oslo colocaram Belém sob o domínio palestino.



Os profetas de Israel anunciaram antecipadamente centenas de detalhes sobre o Messias. O último profeta do Antigo Testamento foi Malaquias, por volta do ano 400 antes de Cristo. Quando Belém se encontrava debaixo do domínio persa, esse profeta falou mais uma vez do Esperado. Depois dele não houve mais profetas que tenham deixado profecias escritas para o povo de Israel . No Talmude, a mais importante obra teológica para os judeus, está escrito: “Depois dos profetas Ageu, Zacarias e Malaquias o Espírito Santo afastou-se de Israel”. Em 300 a .C., Belém caiu sob domínio grego. No ano 63 a .C. os romanos invadiram a Judéia. Em 40 a .C. o Senado romano nomeou um “jordaniano”, o edomita Herodes, para ser “rei dos judeus”, que governava também sobre Belém. (A pátria dos edomitas encontrava-se originalmente na Jordânia). Mas a espera pelo “Vindouro”, como o Messias é chamado muitas vezes pelo povo de Israel , não terminou. Ao contrário. Ela ficava cada vez mais ansiosa – até que, numa certa noite, mensageiros celestiais proclamaram nos campos de Belém as grandiosas palavras: “Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador , que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10-11). Grande alegria porque na “Casa do Pão” finalmente entrava Aquele que tinha autoridade para dizer de si mesmo: “Eu sou o pão da vida” (Jo 6.48). Grande alegria mesmo que a pequena cidade judaica continuasse sofrendo debaixo do domínio estrangeiro! Aprendemos daí que o fato único de Deus tornar-se homem é tão grandioso que deixa de lado todos as outras ocorrências, todas as coisas, inclusive os problemas e as preocupações. A alegria espiritual não deve depender das circunstâncias, não deve basear-se em situações, resolvidas ou não, sejam elas políticas ou de natureza pessoal. A vinda de Jesus a este mundo traz consigo uma profunda alegria para todos aqueles que reconhecem que Ele é realmente o Cristo, o Filho de Deus. Sua vinda é a garantia de que Deus também vai cumprir todas as promessas que ainda faltam e de que o plano divino vai se realizar com toda a certeza. (Dr. Roger Liebi)

sábado, 19 de dezembro de 2009

HEUBER FILGUEIRA, REELEITO!!




ONTEM FOI DIA DE ELEIÇÕES NA ASSOCIAÇÃO DO ARTESANATO MOSSOROENSE, O DIRETOR PRESIDENTE HEUBER FILGUEIRA,FOI REELEITO COM 100% DOS VOTOS VÁLIDOS PARA O MANDATO DE MAIS DOIS ANOS 2010/2011."ESSA É UMA VITÓRIA DOS ARTESÃOS MOSSOROENSES" EM 2 ANOS AFRENTE DESTA ASSOCIAÇÃO,FORAM FEITOS GRANDES EVENTOS,COMO FEIRAS,EXPOSIÇÕES E PARCERIAS,COMO A DO "DRS"(DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO BANCO DO BRASIL),ALÉM DE HOJE A ASSOCIAÇÃO POSSUIR EQUIPAMENTOS PARA SUAS FEIRAS FIXAS OU VOLANTES.HEUBER FILGUEIRA,TEM CONTADO SEMPRE COM A INICIATIVA PRIVADA PARA A EXECUÇÃO DOS PROJETOS DA (AMO),BEM COMO COM OS ORGÃOS GOVERNAMENTAIS."PARA O PRÓXIMO BIÉNIO OS PROJETOS SÃO AINDA MAIS AUDÁCIOSOS"FRISA HEUBER FILGUEIRA.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

FEIRA NO WEST SHOPPING


Começa hoje, e vai até o dia 27 de Dezembro nossa já famosa Feira de Artesanato no Mossoró West Shopping.Quem visitar o shopping nestes dias irá conferir o que há de melhor no ARTESANATO MOSSOROENSE.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O ARTESANATO MOSSOROENSE SAÚDA SANTA LUZIA


Terminou ontem dia 13 de Dezembro as homenagens a padroeira de Mossoró,SANTA LUZIA.Durante 9 dias da festa,nossos associados estiveram expondo seus produtos ao lado da Praça Vigário Antônio Joaquim,a paróquia de SANTA LUZIA nos foi de uma grande presteza,não só nos doando o local(sem ônus algum)como também permitindo que diariamente colocasse-mos mêsas,cadeiras e nossos produtos em um depósito na casa paroquial.A Associação do Artesanato Mossoroense,agradece a PARÓQUIA DE SANTA LUZIA ao PADRE FLÁVIO,MÁRCIO,CEIÇÃO SALDANHA,DRA DA PAZ E A TODOS OS VOLUNTÁRIOS QUE FAZEM ESTA GRANDE FESTA RELIGIOSA.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

OBRIGADO,CLÁUDIA REGINA.

No último dia 02 de Dezembro,no ESPAÇO CULTURAL ARTE DA TERRA,a Vereadora Cláudia Regina,nos deu a honra de sua visita e nos fez a DOAÇÃO de 20 mesas plastícas.Reenvidicação desta ASSOCIAÇÃO e compromisso comprido de uma das poucas pessoas públicas em Mossoró que conhece e acompanha de perto o ARTESANATO MOSSOROENSE,desde quando era ainda secretária de ação social na administração Rosalba Ciarlini.Nós ARTESÃOS DE MOSSORÓ,só temos a agradecer.Também esteve presente neste encontro,o gerente de contas do Banco do Brasil Ivaneto Barbosa.Que nos comunicou sobre uma linha de crédito espeial para o ARTESÃO.E VIVA AO ARTESANATO MOSSOROENSE!!!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O Vaso Chinês


"Uma velha senhora chinesa seguia pela trilha com dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela carregava nas costas. Um dos vasos era rachado e o outro, perfeito.

Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada do rio até sua casa, enquanto o rachado chegava meio vazio.

Durante muito tempo, foi assim, com a senhora chegando à casa somente com um vaso e meio de água.

Naturalmente, o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito e por conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer.

Depois de dois anos, refletindo sobre a amargura de ser "rachado", o vaso falou com a senhora durante o caminho: - Tenho vergonha de mim mesmo porque esta rachadura que eu tenho faz-me perder metade da água durante o caminho até a sua casa.. A velhinha sorriu:

- Reparaste que lindas flores existem somente do teu lado do caminho? Eu sempre soube do teu defeito e, por isso mesmo, plantei sementes de flores na beira da estrada, do teu lado. E todos os dias, enquanto a gente voltava, tu as regavas!

Durante dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa do meu lar. Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa. Cada um de nós tem o seu defeito.

Mas justamente esta característica que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante. É preciso aceitar cada um pelo que é.. E descobrir o que há de bom nele."

Assim, amigos, tenham um bom dia e lembrem-se de regar as flores do seu lado do caminho...